Técnico em enfermagem é preso ao tentar tirar registro no CRM com diploma falso em Rio Branco

Prisão ocorreu nesta segunda (14), em Rio Branco, mas pedido foi feito em dezembro do ano passado. Presidência do CRM disse que diploma tinha erros ortográficos, cópias de carimbos, entre outras irregularidades.

Um técnico em enfermagem foi preso nesta segunda-feira (14) após tentar tirar o registro de médico com um diploma falso. A prisão foi feita pela Polícia Federal do Acre (PF-AC e ocorreu no Conselho Regional de Medicina (CRM), em Rio Branco.

O suspeito solicitou o registro de médico no dia 17 de dezembro de 2018. A documentação foi deixada no CRM, que passou a investigar a veracidade do diploma. Ele é morador da cidade de Marechal Thaumaturgo, interior do Acre.

A presidente do CRM-AC, Leuda Davalos, contou que o diploma tinha diversas irregularidades, entre elas erros ortográficos, cópias grosseiras de carimbos e, o que mais chamou atenção, a data de conclusão do curso era do ano anterior ao pedido.

“No diploma dizia que ele se formou em 12 de dezembro de 2017. Por que esperou um ano para fazer a inscrição? Deu entrada agora em dezembro de 2018, então, a pessoa que espera um ano para dar entrada no registro é suspeita. O diploma foi feito por um centro universitário que não existe”, especificou.

Leuda detalhou também que o CNPJ era no nome de um centro universitário de Montes Claros, MG, e no nome de pessoas físicas. A presidente diz que é praxe do CRM fazer a investigação e seguir as normas do Manual do Conselho Federal de Medicina.

“A funcionária mandou e-mail porque tinha um carimbo da Universidade Pitágoras, mas ela não expede diplomas porque não tem inscrição no MEC, então, não podia assinar por outra universidade, e nem tem curso de medicina. Pitágoras respondeu e disse que era falso e nunca tinham assinado esse diploma”, destacou.

Após confirmar a falsificação, o CRM acionou a Polícia Federal do Acre. No dia marcado para buscar a suposta carteira profissional, uma equipe da polícia esperou o suspeito e fez o flagrante.

“Como é de praxe e rotina, a funcionária disse a data para ele passar que a carteira estaria pronta. Hoje ele voltou para pegar e a Polícia Federal prendeu em flagrante. Ele é natural do Ceára e mora em Marechal Thaumaturgo. Essa é uma das funções do CRM, impedir que falsos médicos exerçam a medicina. A população não pode estar nas mãos dessas pessoas”, concluiu.

Por Aline Nascimento, G1